Relacionamentos com Liberdade

Relacionamentos com Liberdade

Estou namorando. É um relacionamento aberto. Não, eu não “pego todo mundo”.

Comecei o post dessa forma como uma espécie de “desabafo” sobre como as pessoas enxergam o relacionamento aberto. Eu nunca li nada sobre o assunto, mas imagino que seja assim com todxs que mantem um relacionamento não-monogâmico.

Vivemos em uma sociedade que nos obriga a seguir seus padrões, então o normal é homem ter relacionamentos com mulheres e vice-versa, o normal é família, o normal é a mulher ter um só homem e o homem ter só uma mulher (oficialmente, claro, porque bem sabemos que ao homem é permitido “dar umas escapadinhas” porque é do “instinto masculino”, já a mulher que faz isso é uma “vagabunda” e assim sentimos mais um pouco do machismo nosso de cada dia).. Enfim, vivemos em uma sociedade que dita padrões de relacionamentos a todo tempo e quem não se encaixa nestes padrões é criticado, questionado e, até, julgado.

Cresci em uma família tradicional, meus pais são casados há mais de 30 anos e são muito felizes juntos. Sempre via novelas e filmes em que os casais sempre eram monogâmicos e que a traição nunca era permitida.. Pessoas que tinham relacionamentos “extra-conjugais” desde sempre eram mal faladas e  não prestavam. Por isso, sempre achei que o mais correto seria ter um namoro fechado, em que eu e meu namorado nos bastássemos e que não ficaríamos com mais ninguém.

monogamiaFelizmente, depois de ficar adulta, eu percebi que a normatização de relacionamentos heterossexuais e fechados era uma tremenda bobagem. As pessoas que se amam devem ficar juntas, independente de sexo, raça ou religião. Independente de classe social ou qualquer outra coisa que faça com que elas sejam “diferentes”. O problema pra mim sempre foi a questão da monogamia.. Por menos conservadora que eu seja, pra mim sempre foi muito difícil aceitar que alguém que eu ame e que me ama possa ficar com outras pessoas e isso foi assim até conhecer o meu atual namorado. Desde o início da nossa relação ele falava que não gostava de se sentir preso e que gostava de descobrir novas possibilidades.. Sempre falei que aceitava, mas no fundo eu sofria. Aí começamos a namorar e eu tive que ter algumas conversas muito sérias com ele. Depois de choros, brigas e reconciliações pude entender que não existe o relacionamento “normal” – aliás, eu detesto essa palavra – o que existe são diversas formas de relacionamentos e que o aberto era sim aceitável. Venho desconstruindo todos os dias na minha cabeça que a monogamia é a melhor coisa… Entendi que em um relacionamento todxs devem estar felizes (digo todxs, porque às vezes pode ser um relacionamento de mais de duas pessoas). Percebi que o meu namorado não estaria feliz se tivesse a obrigação de ficar só comigo, mas isso não significa que ele não me ame.. ele me ama e muito, mas se um dia ele quiser dar uns beijos ou qualquer outra coisa com outra pessoa  ele não precisa se sentir culpado. Nossos vínculos são baseados no amor que sentimos um pelo outro, não pela obrigação de estarmos juntos. Se algum dia isso mudar, aí sim não haverá mais razão para seguir com o relacionamento.

Aprendi nesse pouco tempo de namoro que o diálogo é a base de tudo. Eu não me sinto à vontade, por enquanto, de ficar com alguma outra pessoa, mas não sei como será daqui pra frente. O que sei é que estou feliz do jeito que estamos, e que se ele resolver ficar com outra pessoa não vai ter problema e não vou deixar de amá-lo ou vou perder a confiança nele. No meu relacionamento existe conversa e liberdade e se os dois não estiverem felizes, não tem porque estarmos juntos. Pra deixar claro, quando falo em “liberdade” não é aquilo de “ahhhh, você namora mas pode pegar todo mundo” – gente, por favor, não! – liberdade pra mim é quando eu não trato meu namorado como minha propriedade e vice-versa. Eu não sou dona dele e ele não é meu dono, nós estamos juntos e não somos um só… Estar livre em um relacionamento é quando todxs os envolvidos estão felizes e não se sentem presos.

Também aprendi nesse pouco tempo de namoro que nem todos estão prontos para ter um relacionamento aberto. E isso é uma crítica a algumas pessoas de esquerda que conheço.. Pra mim, amor livre e relacionamentos abertos não são para todos. Nem todas as pessoas conseguem se dar bem nesse tipo de relação e nós não podemos obrigar ninguém a aceitar isto. A maioria dos meus amigos militantes e que são casais tem um relacionamento monogâmico e se dão muito bem e não conseguiriam aceitar outro tipo de relação. Não é por isso que essas pessoas são conservadoras ou reacionárias. Como eu disse anteriormente, em um relacionamento as pessoas devem ser livres e ninguém deve ser propriedade privada do outro. A tal liberdade que acho que deve existir em namoros também pode existir com a monogamia, porque se o casal se respeita e não se trata como posse, esse sim é um relacionamento livre e saudável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>