O feminismo e suas divergências

O feminismo e suas divergências

 

feminismo

Em  2011 eu cheguei a uma conclusão: Sou feminista e vou lutar pelo direito das mulheres, porque a luta das mulheres muda o mundo! Sempre tive em mente que ficar só na luta feminista não era o suficiente, acredito que lutar pelo feminismo é imprescindível, mas sempre achei que me formar somente nessa pauta seria insuficiente e que a militância no movimento social é muito necessária. Se você me perguntar se é difícil militar na pauta feminista e no movimento estudantil geral, eu vou responder que é sim muito difícil.. Mulheres e LGBT’s tem dupla jornada militante e é sempre muito cansativo, mas todo o esforço vale a pena. O feminismo é necessário e se nós mulheres não lutarmos por ele, ninguém mais vai lutar!

Por ser uma militante feminista, tenho que ler sobre muitas coisas, conhecer diversas linhas do feminismo e difundi-lo da melhor maneira possível. É preciso deixar claro que dentro do feminismo não existe uma verdade absoluta, existem diversas linhas de pensamento feminista, diversas ações e diversas opiniões.  Acho que o movimento é incrível por causa disso, por ter uma variedade infinita de linhas e pensamentos, mas infelizmente também existem conflitos entre as feministas. Já cansei de ver brigas entre mulheres que defendem linhas diferentes e os argumentos são os mais absurdos “você é feminista liberal, não pode falar nada” ou “essas minas do feminismo radical são umas loucas” ou “essas marxistas insuportáveis se acham donas da verdade”. Gente, parem com isso!!! Não vou ser hipócrita e falar que tenho acordo com todas as linhas de feminismo (o que é impossível, né?), mas não posso aceitar ver o desrespeito entre nós mesmas!

Tem sido bem cansativo ler os comentários e ouvir o que algumas meninas falam do meu coletivo, mas tudo bem, não vou mudar a minha linha de pensamento por causa disso. O problema é a partir do momento em que a crítica está acima da feminismo2luta. Divergências a parte, o que é mais importante é que todas nós lutemos pelo feminismo! Temos que difundi-lo e fazer com que todas as mulheres o conheçam, independente da linha que seguimos, pois nem todas as mulheres sabem que são oprimidas.. ou sabem, mas tem vergonha de admitir. Só com unidade nós vamos acabar com o machismo e fazer com que as mulheres tenham direitos iguais aos homens e não sejam oprimidas na rua por andarem com uma saia curta, por exemplo. Só com unidade é que vamos barrar o Estatuto do Nascituro. Só com a unidade é que vamos legalizar o aborto. Só com a unidade é que vamos quebrar as correntes que nos prendem.

Picuinhas tem sido mais importantes que a luta diária e isso não está correto. Não existe uma verdade absoluta na luta feminista, por isso estou ao lado de todas e todos que querem difundir a pauta e que sabem que só lutando é que vamos conseguir acabar com a opressão. O que importa é que você some à luta,  independente se é radical, marxista, liberal, lgbt, homem, transexual.. Enfim, o que nós feministas precisamos é de mais pessoas na luta, e não colocar acima dela divergências que não somam nada a nós. Respeitemos a todas e todos que acreditam no feminismo, mesmo que não haja acordo completo em tudo o que um ou outro diz. À luta, companheirxs!

p.s.: Sei que em alguns casos as divergências são muito grandes, como na questão da transexualidade. Existem mulheres que são contra trans participarem das reuniões auto-organizadas, existem outras que são a favor (esse pra mim é o exemplo mais clássico, mas também o melhor para apresentar as divergências entre as feministas). Porém, tanto as feministas que são contra quanto as que são a favor conseguem sim construir em unidade atividades feministas e conseguem chegar a um consenso. Não quero que divergências não existam, muito pelo contrário pois as divergências são importantes para construir a luta, mas acredito que existam pautas unitárias e que lutar por elas é mais importante do que julgar a colega lutadora que pensa diferente de você 

2 Responses »

  1. Carol,

    Entendo a defesa de unidade no movimento feminista, ao menos em nossas causas comuns, mas ainda acho que cabem algumas observações:
    Como mulheres estamos todas sujeitas a opressão da sociedade patriarcal e machista, mas existem recortes.
    Como eu, mulher negra e de periferia posso estar do mesmo lado da mulher burguesa que é minha patroa, como ignorar que o capitalismo nos colocam em situação de oprimidaxopressora? Como?
    Como eu, mulher lésbica, militante LGBT posso ignorar que minhas companheiras trans* são afastadas da luta, invisibilizadas, tendo sua identidade negada? Como?
    Não são picuinhas, são posicionamentos políticos e ideológicos, o laço da irmandade deveria nos unir, mas o as contradições históricas do capitalismo e o cissexismo nos divide.
    Para destruir o patriarcado devemos nos unir, mas para que haja união precisamos romper juntas com a exploração capitalista e a cisnormatividade.
    Estamos preparadas pra isso?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>